A JSD Distrital de Lisboa deu no dia 06 de Fevereiro de 2019 seguimento ao Projeto “Humaniza-te”. Nesta segunda visita reunimos com a APD – Associação Portuguesa de Deficientes.

Com o “Humaniza-te” – ciclo de visitas institucionais a organizações de impacto social na nossa comunidade – a Distrital de Lisboa da JSD pretende garantir que quando pensa política, a pensa para as pessoas com as pessoas. Se a participação cívica é um dever de todos os cidadãos, é também um dever de todos os políticos o estabelecimento de laços estreitos com as entidades que, diariamente, contribuem para uma sociedade mais coesa e solidária no terreno. 

A APD, fundada em Abril de 1972 e declarada instituição de utilidade pública em 1978, é uma das mais antigas associações em Portugal na área da deficiência. A sua principal missão prende-se pela promoção da igualdade de oportunidades e a plena participação das pessoas com deficiência na comunidade. Contribuem para a potenciação dos cidadãos com deficiência através de diversos contactos com entidades decisoras, com o intuito de colocar as principais questões relativas à deficiência no plano mais vasto dos direitos dos cidadãos.

A JSD Distrital de Lisboa partilhou com a APD o documento “Mais Cidadania, Melhor Sociedade” com as ideias orientadoras da JSD Distrital de Lisboa para uma sociedade mais justa e com menos desigualdades, que incluí um capítulo sobre a inclusão das pessoas com deficiência. Partilhou também a moção aprovada no último Congresso Distrital “Trabalhar para a inclusão valorizando a diferença” da autoria da militante e membro do Gabinete de Cidadania Eva Brás Pinho.

Foram estes os pontos de partida para a partilha, parte a parte, daquelas que devem ser, na opinião da APD, as prioridades dos Políticos para uma verdadeira inclusão. A aposta na educação, nas políticas acessibilidade – quer físicas quer comunicacionais (ex: estabelecimentos públicos terem pelo menos um técnico com formação em de linguagem gestual) -, bem como capacitação adequada das pessoas com deficiência para que se possam autonomizar, foram alguns dos eixos de discussão.

A inclusão acontece quando se aprende com as diferenças e não com as igualdades”. A JSD Distrital de Lisboa apresenta-se comprometida nesta promoção da igualdade de oportunidades dentro todas as diferenças – focados no respeito pela individualidade, colocando o Homem no centro da ação política, a Distrital de Lisboa continuará a pensar a Cidadania.