As circunstâncias da demissão do chefe de gabinete do Secretário de Estado e Juventude, Nuno Félix, representam um rude golpe na ética republicana e no sentido de Estado que é exigido aos titulares de funções públicas, sendo claro para a JSD Distrital de Lisboa que o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues não tem condições para continuar como Ministro da Educação.

Os factos tornados públicos hoje relativamente aos graus académicos de membros do governo configuram uma ocultação que jamais pode acontecer em qualquer área do governo, mas são ainda mais graves quando ocorrem num Ministério como o da Educação. 

Um Ministro que segura um chefe de gabinete no governo nestas condições e com isso, leva à demissão de um Secretário de Estado que pretendia exonerar esse mesmo chefe de gabinete, é para a JSD Distrital de Lisboa grave, lamentável e vergonhoso, lesando o Estado e quebrando a relação de confiança e transparência que os portugueses exigem a quem desempenha cargos governamentais. 

Todas as consequências devem ser retiradas com um esclarecimento cabal por parte dos envolvidos, mas a responsabilidade tem de ser do titular da pasta da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. Neste sentido, a JSD Distrital de Lisboa exige ao Ministro da Educação que se demita. 

Que condições terá para continuar como Ministro da Educação quem oculta e permite uma desvalorização do papel da Educação, do rigor e da verdade?

Lisboa, 28 de Outubro de 2016